quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Vende-se.

Caiu a parede que sustentava o espelho,
O rejunte, velho e moído pelo tempo, não segurou.
Cairam também as colunas, chão e teto.
De tudo que construímos, muito pouco que restou.
Entulhos jogados em terra batida,
Terreno baldio, infértil e sem cor.
Na placa de vende-se, anuncio a vida
Como em um vaso que não nasce mais flor.