sexta-feira, 11 de maio de 2018

Caminhos.

Sonhei que estava tudo bem
Que não tinha doido tanto, sabe?
Que você tinha superado também
E que agora, caso o mundo desabe
Eu não vou ficar pensando no que seria
Se um dia, fosse diferente, entende?
Caso a gente não tivesse se encontrado
Ou nosso caminho tivesse se separado
Antes de estarmos tão distantes.
Porque não reconheço o caminho a minha frente
E o que ficou pra trás também não me diz tanto
E que se a gente chegou aqui junto
Ainda falta muito pra eu entender
Qual o destino que me espera.
Mas não fico parado,
Cada vez e cada passo,
Em busca de entender pra onde vou
O que eu sou e quem eu era.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Peixes.

É difícil ser uma vítima ocasional dos traumas dos outros. O objeto a ser descartado em momentos de perigo, o peso no navio jogado ao mar para que ele não afunde. Daí boio, à deriva, e vejo à distância o navio afundar. E em outros barcos e embarcações menores, a história se repete. Enquanto eu acredito ser o que impede a água de entrar, ao mesmo tempo eu e minha fé somos jogados fora sem pensar duas vezes. Os gritos de protesto ignorados, os avisos negados, porque não é minha função que me mantem ali. É o ego e o conforto que posso oferecer, a segurança em mares agitados. Mas na confusão e enjôo que esse mesmo mar causa, é difícil diferenciar o que ajuda e o que atrapalha no processo, e eventualmente tenho sido eu a peça descartada. Eu novamente no frio tento nadar para um lugar seguro, com dúvidas se vou conseguir. O barco afunda a poucos metros de mim sem eu poder fazer nada.

At the botton of the ocean, fish won't judge you by your faults.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Calmaria.

O sentimento de não ser necessário toma formas distintas,
pois o que poderia lhe tornar dispensável
acaba sendo justamente o que nos liga.
Quando não se precisa estar com alguém
Só a vontade prevalece
E enquanto o desejo existir, ela permanece
Enquanto fizer sentido, enquanto sentir que faz
A gente permanece junto, sem perturbar nenhuma paz

Pois é a calmaria que me atrai, não necessariamente a estabilidade
Pois nessa idade no mar, qualquer onda forte a gente cai
Então fico e peço que fique também
Porque o que não está fazendo mal
tem sido muito melhor do que o que não estava fazendo bem.