quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Nas nuvens.

Eu moraria nas nuvens se eu pudesse voar
Sentado sob o Sol e acima do mundo
De camarote observando o luar
Bater de asas acalentando ao fundo

Às vezes entraria nas nuvens pra me isolar
Me cobrir de branquidão e sentir a estática
Fazer de travesseiro a umidade do ar
e manipular na mente a mudança climática

Causar chuvas num movimento brusco
Num pesadelo que só se tem no céu
Caindo eternamente em um sonho fosco
Acordar assustado em uma cama de hotel