quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Beleza.

O que é bonito não tem data de validade
Não tem idade, não tem cor
A beleza transpassa os limites da cidade
E significa mais que as intenções do autor
Das tribos originais aos homens de terno
Do Egito Antigo a Nova Babilônia
Das colônias em marte ao Homem Eterno
Sempre haverá espaço para o que é belo
A fluidez do traço que hipnotiza
A brisa nos cabelos e o calor do abraço
Um quadro na parede sem significado aparente
Que acalma o coração de quem pousa os olhos
A montanha além do mar que inspira os poetas
Certas manhãs que se equilibram na cor certa
Perto de tudo o que há em desarmonia
E o que se perde em decomposição
Quando sobrarem só restos de civilização
Olhe pra trás e lembre, é a beleza que fica.