quinta-feira, 15 de março de 2012

O Beco


Às vezes a vida te coloca em um beco. Uma encruzilhada talvez definiria bem a situação. De um lado você tem seus preceitos morais, suas certezas, suas verdades. Do outro você tem o que faz sentido. Porque a vida, essa malandra, ela sabe que escolher entre o bem e o mal é muito fácil, então ela te dá duas opções onde as duas te farão bem e mal da mesma maneira. A diferença está em que parte de você cada uma delas vai afetar. Aí você escolhe o com resultado mais rápido. É bom ver os frutos do que você plantou, todos temos essa necessidade de resultados imediatos porque vivemos o agora. Esse é o momento, somos jovens e temos tempo pra errar e consertar as coisas. Mas como todo o resto, o agora é passageiro daqui a pouco o agora é a realidade que você não queria ver. O resultado das suas decisões chegam para te dar um soco na cara, aquele soco que você vem se preparando pra receber mas percebe que não tinha como saber o quanto ia doer. E dói. A marca dos dedos fica, as pessoas perguntam curiosas. E consciente de que é o único culpado, você não aponta dedos. Eram dois socos e você teve a chance de escolher o que vinha depois. Pelo menos você teve a chance de aproveitar toda a vida antes de ser acertado. O primeiro soco teria doído menos? Teria demorado menos para passar? Não sei e, sinceramente, não quero mais saber. As escolhas foram feitas e temos que conviver com cada uma delas. Tinha como desviar do segundo soco, mas mereci e não estou aqui para me proteger. Vai demorar pra parar de doer, visto que ninguém tá se esforçando muito pra cuidar disso, mas é bom que assim a gente aprende com a dor. Ela te lembra da escolha e te lembra que na vida você vai ter que fazer muitas outras escolhas como essa. Não me arrependo do caminho que segui porque sei que em breve todo mundo vai ter que fazer essa escolha e passar por tudo.

Moral da história? Depois que você escolher o caminho, vai até a o final sem olhar pra trás. Moving on.