quarta-feira, 29 de junho de 2011

Rabiscos.

Sentada no canto da sala observando as pessoas ignorarem o professor. Mas quem era ela pra julgar já que ela estava fazendo o mesmo ao prestar atenção nas pessoas e não na aula? Ela começava a rabisca seu cadernos, pequenas histórias que nunca viriam a público sobre um casal de personagens fofinhos e de olhos grandes que se encontrava e desencontrava no meio de fórmulas químicas ou definições de gramática. A menina era ela mesma, o menino era um aglomerado de personalidade que um dia a trataram mal e, provavelmente por isso, ela amou loucamente. Às vezes ele era mais passivo, fazendo todas as vontades dela, outras vezes ela que sofria na mão do outro personagem.. Tudo dependia do clima da sala, do seu humor ou mesmo da matéria que estava sendo lecionada. Hoje os dois se amavam, mas um muro alto os separava. Ele tenta inutilmente fazer um buraco no muro, ela cavava para tentar passar por baixo, ambos querendo encontrar-se um ao outro.Um terceiro personagem chega e observa os dois, ele chega perto dela, segura sua mão e a guia ao outro lado do mundo, simplesmente dando a volta, juntando assim os dois. Às vezes tudo que se precisa é de um terceiro pra apontar o que está errado. Bate o sinal indicando o fim da aula, ela guarda seus materiais de qualquer jeito e sai da sala sem falar com ninguém.