sexta-feira, 16 de abril de 2010

O Filme

Ele sentou pra ver o filme, mas o filme parecia igual a todos os outros. Os atores realmente eram os mesmos e a história era aquela mesma de sempre. Ele queria aguentar, porque ele sempre tinha a esperança de que o final seria diferente e valeria por aquelas duas horas perdidas. Um copo de refrigerante e um balde de pipoca ajudavam a não pensar em nada durante o filme que a cada cena se tornava mais parecido com todos os outros. Seus problemas no trabalho, com sua família e com seus amigos não eram prioridade, tudo o que ele queria era que o filme acabasse e que, dessa vez, o final fosse outro, aquele que valeria pelo filme inteiro. Pausa pra ir ao banheiro. Enquanto o microondas estoura mais um pacote de pipoca, ele reflete se continua a assistir ao filme ou desiste de vez. Voltou pro sofá, o final daquele seria diferente e valeria a pena. Chegou em um ponto em que ele já conseguia prever as próximas cenas e até as piadas inseridas nos diálogos. Continuar a assistir seria burrice, mas a esperança falou mais alto. Esse teria o final que diferenciaria de todos os outros filmes. A pipoca acabou novamente, o refrigerante acabou e o filme caminhava pro final, considerando a movimentação conhecida dos personagens principais. Eles se declaram um para outro, tem uma grande festa onde todo o elenco do filme é convidado e acabou. Ele respira fundo e delisga a tv enquanto recolhe o resto de comida do sofá. O final era o mesmo mas ele já sabia. Só não queria aceitar. Semana que vem ele tentaria de novo. Iria a locadora e alugaria um filme qualquer. Ficaria horas encarando a moça que trabalhava lá, ensaiando diálogos imaginários para na hora de pagar engasgar e responder o de sempre. Aí assistiria o filme na esperança de que, na próxima vez que for na locadora, consiga dizer o que sente por ela, talvez até convidá-la pra sair. Mas no fundo, ele sabe que ele não vai conseguir, vai engasgar ou comentar alguma coisa estúpida sobre o tempo. Ele podia assistir o filme quantas vezes quiser, mas o final seria sempre o mesmo.

Um comentário:

Aproveita e comenta aí!