sábado, 24 de março de 2018

Órbita.

Habitamos o microcosmo do meu quarto
E na quarta volta, nosso universo colidia
Em supernova que não ecoa no espaço
O grito do astro que ninguém ouvia
Estrelas marcavam e guiavam o caminho
E o satélite que enfeitava nosso teto
Era o ponto brilhante de não se estar sozinho
Perder-se na galáxia de afeto
Mas a rota de colisão em nosso frente
Pedia que medidas fossem feitas
Enquanto a gente flutuava calmamente
Você já orbitava outro planeta.