segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Oitavo andar.


Quem são essas pessoas que se interessam tanto assim por minha vida a ponto de acompanhar cada passo que eu dou? Que necessidade de validação é essa na satisfação pra cada comentário sobre assunto banal. O próprio sistema escolhe quem serão as pessoas que vou lembrar e quem são aquelas que aos poucos vão desaparecer da minha memória. Todos estão lá na mesma prateleira, mas o algorítimo escolhe quem é relevante para minha vida ou não. Onde estão as pessoas fora da prateleira? Ninguém atende mais o telefone, como vou saber se você está bem? Me visite, sem avisar mesmo. Perca cinco minutos no supermercado para poder saber da minha vida. Sua caixa de correio está cheia de pequenos lembretes sobre pessoas que você não importa, onde estão as pessoas importantes? Como vai você? Como vai sua família? Me liga! Qual é mesmo seu telefone? Vou ligar. O telefone toca até cair. Ah, não. Ele de novo? Mas foi tão cedo. Ninguém esperava. Vou ligar da próxima vez. Toca de novo, caixa de mensagens. O que aconteceu? Ele não me atende, não me retorna. Você sumiu! Estou sempre por ai, acho que você não procurou muito bem. Vamos tomar um chopp! Não, não bebo. Você saberia caso… não importa. Trocou de namorada? Tem mais de um ano que estamos juntos. Deixa pra lá. As pessoas mudam, os ciclos viram, quem é de verdade sabe quem é também. Parece que nunca nos separamos, né? O tempo passou rápido demais. Olha, curtiram minha foto! Quem será essa pessoa? O que você significa para as pessoas que você não conhece? Ele me falou que te odeia, você não o conhece? Estranho. Ele te adora! Achei que vocês fossem amigos. Outra validação pessoal por um desconhecido, isso faz bem pro ego. Deveríamos nos elogiar mais, sem malícia e intenções, elogio puro e simples. Você está bonito, cara. Parece feliz. Só por fora, é verdade. Por dentro está uma bagunça. Troca a roupa, troca o cabelo, troca as músicas e as pessoas. Nada resolve. O denominador comum disso tudo é você mesmo. Seja a mudança que você quer ver nas outras pessoas. Dê bom dia e aprenda nomes. É um primeiro passo já.