segunda-feira, 30 de março de 2009

Pequena Cidade, Grandes Desastres.

Acho incrível a quantidade de coisa bizarra que acontece aqui em Goiânia. Para uma cidade de pouco mais de um milhão de habitantes, acho que a gente aparece demais no Jornal Nacional. Sério, eu não lembro quando foi a última vez que eu ouvi falar de uma coisa bizarra acontecendo em Porto Alegre, por exemplo, já aqui em Goiânia sempre acontece umas coisas estranhas. Há umas duas semanas atrás, eu estava com minha namorada em um bar frequentado por universitários, perto da faculdade dela quando me chega um pessoal falando que caiu um avião no Flamboyant (maior shopping da cidade e da região do centro-oeste, segundo dizem). Eu ri, claro. Essas coisas não acontecem. Imagina cair um avião no shopping que minha mãe vai todo sábado. E pior, depois ainda vieram dizer que o cara tinha roubado o avião, tava com a filha dentro, antes tinha jogado a esposa pra fora do carro e mais antes ainda ele tinha estuprado uma menina de 13 anos. Uhum., sei. Agora que você me diz que esse cara era o filho cego do Roberto Carlos e que o avião que ele roubou era o Ed Force One, o avião do Iron Maiden. Há pouco tempo um sujeito tomou um tiro na frente da boate sertaneja. Antes teve um churrascão à la inglesa com os cumprimentos do chef Mohamed. Teve também uma mulher que maltratava uma menina, trancava ela na área de serviço e apertava a língua dela com um alicate, que por acaso morava na frente de onde eu pego o ônibus atualmente pra faculdade. Antes um pouco, teve a Dona Vilma que sequestrou o Pedrinho (que estudava no mesmo colégio que eu) e fez ele acreditar que era a mãe dele, foram pesquisar ela não só tinha pegado o menino, como ela tinha roubado todas as filhas também quando bebê, e sabe-se lá se aquele cachorro era realmente dela. E pra terminar com a enumeração de coisas bizarras, temos o "MyOwnChernobyl", onde os caras acharam um lixo radioativo, pegaram umas pedrinhas brilhantes e saíram distribuindo câncer pela cidade toda. O mais bizarro disso tudo é saber quão próximo essas coisas são. Goiânia não é uma cidade muito grande, e sempre tem um amigo de um amigo seu que conhece alguém envolvido nessas coisas. Mas você pode contra-argumentar: "Ah, em São Paulo essas coisas acontecem todo dia.", mas pô! Goiânia tem 5% da população de São Paulo. Aposto que na Índia nascem 2 pessoas com oito pernas para cada cem milhões de habitantes, e ainda assim teremos muita gente com oito pernas, mas eu estou falando de lugares pequenos! Analisando a situação de maneira mais ampla, podemos dizer que talvez essas coisas bizarras sejam todas frutos da primeira coisa bizarra que aconteceu por aqui, que foi o acidente com o césio. Muito enganado você está pensando que aquilo só trouxe câncer e morte aos goianienses, aquele acidente causou severas cicatrizes na mente das pessoas. Elas pensam que como já comeram omelete de césio, tem a desculpa para fazerem o que quiserem. Não é bem assim que funciona não. Mesmo você tendo um leve resquício de césio no seu sangue que faça com que sua pele brilhe levemente no escuro, isso não é desculpa pra sair por aí roubando avião e jogando em shopping não. Porra, minha mãe poderia estar lá, cara!