segunda-feira, 2 de abril de 2012

Já deixo o tchau pra quando for embora.

Um dia todo mundo vai embora. Alguns avisam, outros você só fica sabendo depois que já estão longe demais. E a sensação que fica é que você não aproveitou a estadia dela tempo o suficiente. Tudo que poderia ser feito, tudo que poderia ser dito e agido. Tudo o que não foi e que agora não vai ser mais. Poucas certezas você tem e essa, infelizmentem é uma delas: não tem volta. Não tem consolo, não tem telefone, não tem desculpas. Outras pessoas vão frequentar sua vida e aos poucos o vazio vai ser preenchido, mas sempre vai ficar a sensação de que ninguém se encaixa tão bem quanto era. Vai sobrar uma ponta, vai forçar um pouco pra entrar e esses buracos vão se acumulando e te deixando cada vez mais vazio, cada vez mais frio e cada vez com mais medo de se envolver e de se importar. Quem se importa mais é que sente o baque mais forte, e nem sempre você aguenta. Cai, levanta, porque é assim que tem que ser. Partir é a consequência inevitável de chegar e um dia quem vai deixar o buraco na vida de alguém é você. E se eu não tiver oportunidade ou coragem de me despedir, que fica aqui o meu adeus para quando ele for necessário.