quinta-feira, 14 de maio de 2009

O Evangelho Segundo Toscano

Velho Testamento - Parte 2

Aonde paramos? Deus tinha expulsado a galera do paraíso, né? Ok. Então, o homem e a mulher, que pra efeito de constagem vamos chamar de Wall-e Adão e Eva, tinham sido expulsos do paraíso porque a mulher tinha comido a maçã que num podia ter comido. Adão ficou puto, mas como ele tava comendo o "fruto" também, ele aceitou e foi embora com a Eva. Foram os dois morarem numa caverna um tempo enquanto a humanidade não desenvolvia a arquitetura e a engenharia. Nessa de ficar na caverna e não ter televisão, Adão e Eva tiveram um monte de filhos, mas tinham dois em especial: o mais velho chamava Caim e o outro se chamava Abel. Os dois eram tipo, broders, saca? Daqueles que mandam o Patrick e a Gripe Suína via orkut, e que se jogam no mesmo time no Campeonato Brasileiro 2500 a. C. do super nintendo. O problema foi que eles cresceram com aquele sentimento ruim sobre Deus, afinal, ele tinha sacaneado os pais deles o que tinha feito eles se mudarem do Jardim Bonito das Flores Cheirosas pra Caverna Úmida do Piso Cagado. Então eles sempre tentavam compensar o erro da mãe deles. Certo dia, os dois mais crescidos, Caim tinha uma plantação e Abel cuidava das ovelhas, um dos dois teve a idéia: "Pô, quem sabe se a gente num levar uns presentes pra Deus, ele num deixa a gente voltar pro paraíso, perdoa a galera e todo mundo volta a viver feliz no J.B.F.C.?". Não importa quem foi que deu a idéia. Beleza, Caim foi lá na sua plantação pegou uma cesta com seus melhores frutos enquanto Abel matou um Cordeirinho de Deus pra levar pro próprio. Chegando lá no paraíso, eles foram falar com Deus:

Deus: - Eai, galera! como vocês estão? Sumiram aqui do paraíso... BRINKS EU QUE EXPULSEI!
Caim: - Então Deus, a gente veio aqui te dar uns presentes, só na moral, tipo, forma de agradecimento por você ter feito o fogo, a água, a terra, o vento e o coração.
Deus: - Pô, que maneiro. Adoro presentes! E nem é meu aniversário! Po, o que vocês trouxeram?
Caim: - Então, BigD (posso te chamar assim?), eu trouxe aqui umas frutinhas maneiras pro senhor. Tem de tudo aqui. E esse aqui do meu lado é meu irmão mais novo... Deus: - Eu sei, sou onisciente.
Abel: - Ó Grande @OCriador, eu trouxe uma ovelha aqui, pro senhor, mas o senhor me desculpa, nem tenho certeza se o senhor come carne e essas coisas, sem contar que era um Cordeirinho de Deus.
Deus: - FINALMENTE ALGUÉM FALANDO MINHA LÍNGUA! Chega ae, Abel, entra aí no paraíso e vamos fazer um churras esperto!

Abel, sem saber como agir, entra no paraíso e vai lá curtir o churrascão regado de vodca e de funk. Caim fica na entrada com suas frutinhas. Puto. E voltou pra casa. Chegando em casa, conta a história pros pais, que ficam superorgulhosos do filho mais novo, o que deixa Caim mais puto ainda. Caim fica lá com raiva a tarde inteira, pensando em mil maneiras de se vingar de Deus e do irmão. Lá pelas tantas da manhã, chega Abel, totalmente embriagado, sendo carregado por uns anjos que o deixam lá na porta da caverna. Caim, que ainda estava acordado, vai lá, pega o irmão alcoolizado leva prum mato, desce o cacete nele até ele morrer. E Caim entrou no Livro dos Recordes como O PRIMEIRO HOMICÍDIO DA HISTÓRIA! Pelo menos, alguma coisa né? Então, no outro dia, Deus dá uma passadinha na casa de Adão e Eva pra perguntar pro Abel o que que ia rolar a noite (pois naquela época não tinha telefone ou msn). Caim atende a porta:

Deus: - Eaí, Caim? Tá de boa?
Caim: - To de boa.
Deus: - Seu irmão tá aí?
Caim: - Num tá não.
Deus: - CARALHO, VOCÊ MATOU SEU IRMÃO, SEU ESCROTO.
Caim: - Uai, mas como você sabe?
Deus: - Eu sou onisciente.
Caim: - Então... porque você veio até aqui me perguntar se ele estava?
Deus: - Você tá muito folgado. Dá umas frutinhas e já acha que tem intimidade. Saca só, você tá condenado a ser um perdido. Nada que você plantar vai crescer!
Caim: - Pô, grande merda. Eu andando por aí, depois de ter brigado com o Senhor, o primeiro que me encontrar vai me matar.
Deus: - Ai, meu saco. Beleza, tá reclamando? Então quem te matar vai sofrer 7 vezes o que você sofrer, faliô?
Caim: - Faliô.

Caim, pegou uma das irmãs como esposa (na época não tinha opção, ou comia a irmã ou não comia ninguém) e foi seguir sua sina, vagando por aí sem rumo, vivendo de escambo para conseguir comida. E Deus foi embora, mais uma vez grilado com aquela família maldita, espalhando a fofoca que Caim na verdade era um filho da cobra (da história anterior) e não de Adão. Justo agora que Deus tinha feito um amigo...

Leia também as outras partes desse belo conjunto de parábolas:
Parte 1 Parte 3 Parte 4

Sorte do Dia

"Todos ganham presentes, mas nem todos abrem o pacote." (Orkut)


Ótima tradução de "Everyone is gifted - but some people never open their package".

Google, if you can't speak portuguese, don't even try.
"Your 'Language Tools' make us want to poop in our mouth."
Translate this.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

A freira

The num keeps a secret
About the world and the truth
By God, Himself, it was given
She would public, if she could.

sábado, 2 de maio de 2009

Pára de se esconder, amigo.

Vocês não merecem ler isso, mas devido ao tom do texto o lugar dele é aqui mesmo.

Eu sempre justifiquei o fato de não ter comentários nesse blog aqui dizendo que as pessoas não comentam e eu prefiro imaginar que elas comentariam se pudessem do que ter a certeza de que elas não comentam. Porém tem outra coisa que me dá nojo em comentários, e que eu nunca tinha pensado até eu ver isso na minha carne e de meus amigos nesse meu novo blog Risos: o anonimato. Eu sempre tive nojo de perfis falsos no orkut e a base do anonimato em comentários é basicamente a mesma. A pessoa não se identificando, ela tem coragem para dizer o que quiser. E o que ela quer dizer, que a leva a se esconder pra ter que dizer, na maioria das vezes machuca ou provoca desordem. É legal ouvir a opinião de todo mundo, mas é bem mais legal saber quem está emitindo essa opinião para que seja dada um mínimo de credibilidade. Mas raramente esses "anônimos" são amigos. O cara não entende o que foi escrito, as vezes nem lê, interpreta da maneira mais incoveniente (e muitas vezes mais improvável) possível, se ofende, e vai descontar essa raiva todo nos comentários do texto que desencadeou essa ira. Aqui entra uma parte que eu não entendo: será que as pessoas não conseguem entender que aquele texto é só uma opinião, não é uma verdade absoluta que será imposta a tudo e a todos, não foi escrito com a intenção de ofender elas pessoalmente, e, cara, é só uma opinião diferente da sua! Não é necessário xingar, desmerecer, repudiar, amaldiçoar até a terceira geração, chutar seu estabilizador, ir atrás do autor no recreio, roubar o dinheiro do lanche, colocar a cabeça dele na privada e dar descarga. Ok, que nós (autores dos blogs) pegamos pesado as vezes, tocamos em assuntos delicados ou ofendemos um grupo, mas são só generalizações, muitas vezes é só uma forma exagerada de colocar as coisas para dar um tom mais dramático pro texto. Só que o que você, sujeito que aproveita que está escuro pra pegar na bunda da mocinha mais próxima, diz pode nos ofender. É um autor contra uma infinidade de potenciais leitores, não dá pra competir. Nós também temos sentimentos, temos defeitos, e nós sabemos disso. E o que você fala no seu comentário é direcionado a um só autor. Tenha dó da gente, não estamos obrigando você a ler nosso texto, MUITO MENOS a concordar com o que é dito. Você tem toda a liberdade de marcar nosso site como pornografia para que ninguém no seu trabalho entre, ou falar pra todo mundo que nosso site é uma merda, que não temos nada na cabeça e que somos burguezinhos vendidos pro sistema, porém, ao menos tenha a decência de mostrar sua cara, como nós mostramos a nossa. Fale o que quiser, mas ao menos coloque sua cara a tapa como nós colocamos a nossa. Liberdade de expressão é garantida por lei, mas o veto ao anonimato tá lá também no mesmo parágrafo. E lembre-se que nós, blogueiros, somos pessoas também.