segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O Evangelho Segundo Toscano

Velho Testamento - Parte 4

E dez gerações se passaram (e três meses, né? Eu devia escrever mais por aqui) desde aquela história do Noé, dos afogamentos e do barcão. Encontramos nosso herói, Deus, entediado com as coisas que envolvem o céu e o inferno no qual ele passou muito tempo se preocupando (o que é uma bobagem, o tempo é só uma impressão que ele colocou na nossa cabeça) e ele resolveu dar uma olhada a quantas andam aquela galera que ele colocou no mundo que ele gostava de chamar de PESSOAS. Focalizando na árvore genealógica daquele primeiro casal que ele criou e pegando os primogênitos de cada primogênito, chegamos num cara chamado Abrão, que eu vou chamar de Abraão mesmo pra vocês se localizarem quem ele é. Abraão era esse primogênito último que morava com seus pais e sua família em alguma aldeia longe pra caralho há muito tempo atrás. Como ele era a décima geração desde a décima geração contando a partir de Adão, Deus resolveu voltar e bater um papo com ele, ou provavelmente colocar outra pegadinha como ele tinha feito com as gerações anteriores. [off] Ah, Deus, esse velho malandrão, um dia você me mata com suas brincadeiras. [/off] O problema é que como já tinha passado muito tempo desde a última visita de Deus, o pessoal contemporâneo deles já estavam em outra. Adorando outros deuses, umas estatuazinhas e pans. Só que o Abraão viu que tinha uma parada errada em adorar as estatuazinhas, deep inside ele sabia que Deus era um só e que os outros deuses nunca iam ser tão maneiros quando o Deus dele. E Deus pensou "É esse mesmo" e surgiu pra ele.

Deus - Abraão, é o seguinte. Sai dessa terra que ela não te pertence. Te prometo uma terra bem melhor e mais maneira que eu vou chamar de... "Terra Prometida". Nome maneiro hein? Passei os últimos 500 anos só pensando num nome legal.
Abraão - PUTA QUE ME PARIU, QUEM É VOCÊ?
Deus - Quem sou Eu? Essa barba, essa roupa, esses trovões em volta, o fato de eu aparecer aqui do nada, isso tudo não diz nada pra você?
Abraão - Você é... Hum... Num sei, não lembro. Talvez a gente se conheceu em alguma festa e tals, mas eu não lembro.
Deus - Eu sou Deus. Aquele que você acredita e acha que é melhor que os outros deuses e pans.
Abraão - Ah, pô, por que você não disse isso antes? Vamos entrar, te sirvo um cházinho... O que você tava falando de prometer terra mesmo?
Deus - Que gracinha você, eu aceito o chá sim. Então, é assim: você tá aqui nessa terra perdida e eu tenho uma terra cheia de água e fruto onde se plantando tudo dá que num tem ninguém por lá e onde canta o sabiá, aí eu te dou ela, você vira o rei de lá e tudo mais.
Abraão - Mas peraí, qual é a pegadinha? Vou ganhar uma terra assim na moral?
Deus - Tem pegadinha não, vai lá que a terra é tua.
Abraão - Mas eu não tenho que pagar nada? Assinar nada?
Deus - Faz assim, quando chegar e começar a nação por lá, você convence todo mundo que eu sou o melhor e o único Deus e a terra é sua e eu ainda faço você virar pai.

E Deus desapareceu. Abraão contou pra geral o que tinha acontecido e ninguém botou muita fé não. Mas tá de boa, Abraão pegou sua galera (que na real era só sua mulher Sara e seu sobrinho Ló) e foi lá rumo a terra que o Barbudinho tinha prometido. Só que, todos sabemos, it's a long way to the top if you wanna rock'n'roll e o caminho dele não foi fácil. Eles chegaram numa terra lá que eles acharam que era a tal Terra, todo mundo ficou feliz, construiram um templo pra Deus só que o tempo passou e teve uma puta seca lá que num crescia nem cacto até que Ló falou "Tio, ACHO que não é aqui não." e eles foram embora pro Egito. Lá no Egito, o Faraó tentou comer a mulher dele aí nem rolou de ficar por lá não e eles voltaram pra terra que eles acharam que era a Prometida. Lá Abraão foi no templo que ele tinha construído e foi chamar Deus.

Abraão - Porra, Deus! Vim até aqui e só me fodo! Primeiro passo fome, depois querem comer minha mulher! E isso tudo eu nem sei se eu to no lugar certo!
Deus - Eai, Abe! Pra quê essa agressividade toda? Fica de boa aí. O lugar é esse mesmo, você vai ser rico e poderoso e dono do mundo. Tá tranquilo.
Abraão - Ah, falando assim até valeu a pena... Mas, Deus... posso te pedir uma coisa?
Deus - Ai, meu saco. A gente dá a mão e o cara quer o braço inteiro. Pede logo.
Abraão - É porque eu e a Sara já estamos meio velhinhos e não tivemos filhos ainda, você poderia nos dar uma ajudinha?
Deus - Hum... Ok, vou quebrar esse galho, mas presta atenção que você tem que fazer exatamente como eu mandar: transem. Quanto mais vocês fizerem, maior chance de terem filhos. #ficadica.
Abraão - Muito obrigado, Senhor Misericordioso! Seremos eternamente gratos! (emocionado)

E assim, foi. Abraão ficou ricaço, virou dono das terras prometidas por Deus, sua mulher teve um filho, espalhou a palavra, todo mundo curtiu aquele Deus que distribuia terra e filho e as pessoas começaram a acreditar em Deus. Só que esse Deus bondoso não é o mesmo Deus que conhecemos na história que eu contei até aqui, né garotada? Depois de um tempo, Isaque já crescidinho, Deus aparece a Abraão e exige que ele leve o filho prum morro e o mate, como prova de que ele realmente acreditava n'Ele. Abraão pensou "Porra, ele me deu tanta coisa, vou negar matar meu filho? To indo pro morrinho matar o garoto, agora que eu já sei a manha é só fazer outro depois" e levou o Isaque pro morro pra matar o filho em sacrifício. Quando Abraão levantou a faca pra cortar o pescoço do filho, um anjo segurou sua mão e gritou:

Anjo - ARE YOU OUT OF YOUR FUCKING MIND???
Abraão - SAI DAQUI, POMBA MALDITA, SÓ TO CUMPRINDO ORDENS.
Anjo - Velho, mata seu filho não. O Velho tá doido, sai dessa.
Abraão - Como assim?
Anjo - Ah, ele manda vocês fazerem essas coisas só pra tentar enturmar, mas ele já tá meio caquético. Saca só, pega aquele carneiro ali e mata, ele nem vai sacar a diferença.

Abraão fez o que o anjo disse e, realmente, Deus nunca mais voltou pra atazaná-lo. Abraão continuou rico e mandando em tudo até morrer, convenceu geral a acreditar no Deus como único e conseguiu ter um filho. Deus ficou feliz por mais um de seus jogos terem dado certo e já começou a planejar quando ele ia voltar pra testar a fé dos humanos. Quem sabe mandar alguém atravessar um mar a pé com uma galera atrás?


Leia também as outras partes desse belo conjunto de parábolas:
Parte 1 Parte 2 Parte 3