quarta-feira, 25 de abril de 2012

Amor banalizado em rimas metapoéticas


O que rima com amor?

Já posso começar falando de dor
que é rima e resultado de amor

Mas também falo de lenhador
E Jesus Cristo, Nosso Senhor
Rima também com liquidificador
E com o perfume doce de uma flor

Muita coisa rima com amor
Independe de semântica e valor
Independe de sentimento ou calor
Independe de país, crença ou cor

sábado, 14 de abril de 2012

Tocantins


Um tesouro enterrado nas areias do Tocantins,
Que não está marcado em um mapa com um X
Mas em meu coração.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Luto.

Luto não por aqueles que foram embora e luto por quem está aqui. Luto por aqueles que não dão tudo de si em seus relacionamentos pessoais e por aqueles que simplesmente se entregam. Luto por cada chance perdida, por cada sorriso não dado e por cada abraço que queria ser um beijo. Luto por cada "não" inseguro e cada batida no muro que é o não com certeza. Luto por todos que um dia não quiseram sair da cama e assim ficaram até o outro dia chegar, não por preguiça mas por insegurança de ter que enfrentar as consequências de tudo isso que passou. Luto interno de quem não quer dividir suas preocupações não por falta de confiança mas porque compartilhar tristezas nunca trouxe alegria pra ninguém. Luto pelas mensagens não enviadas, pelas mensagens erradas e pelos mal-entendidos. Luto por morte e luto por brigo. E se a luta por tudo isso é em vão, desculpa, amigo, mas não vai ser o luto que vai trazer a solução.

Já deixo o tchau pra quando for embora.

Um dia todo mundo vai embora. Alguns avisam, outros você só fica sabendo depois que já estão longe demais. E a sensação que fica é que você não aproveitou a estadia dela tempo o suficiente. Tudo que poderia ser feito, tudo que poderia ser dito e agido. Tudo o que não foi e que agora não vai ser mais. Poucas certezas você tem e essa, infelizmentem é uma delas: não tem volta. Não tem consolo, não tem telefone, não tem desculpas. Outras pessoas vão frequentar sua vida e aos poucos o vazio vai ser preenchido, mas sempre vai ficar a sensação de que ninguém se encaixa tão bem quanto era. Vai sobrar uma ponta, vai forçar um pouco pra entrar e esses buracos vão se acumulando e te deixando cada vez mais vazio, cada vez mais frio e cada vez com mais medo de se envolver e de se importar. Quem se importa mais é que sente o baque mais forte, e nem sempre você aguenta. Cai, levanta, porque é assim que tem que ser. Partir é a consequência inevitável de chegar e um dia quem vai deixar o buraco na vida de alguém é você. E se eu não tiver oportunidade ou coragem de me despedir, que fica aqui o meu adeus para quando ele for necessário.